Prisma das letras

Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento. Provérbios 3:13

Textos

Desde que se abateu a tragédia, perdeu a inspiração. A imaginação sumiu; a vontade desapareceu; a coragem definhou; a disposição para escrever transformou-se em apatia. Não tem mais nada pra dizer. Ficaram o silêncio, o bloqueio criativo, o vazio inspirativo, e a completa ausência de dar vida às palavras, às letras. O texto adormeceu, está quase morto.

Vive a duvidar de sua capacidade, de seu talento, de sua habilidade para escrever. O infortúnio paralisou completamente sua escrita. Já superou a dor, mas o trauma travou as palavras, calou a voz.

Restaram a inércia, o desânimo, a falta de confiança em sua capacidade para a escrita. E não há nada, desde então, que ressuscite seu entusiasmo para praticá-la. O projeto de curto ou médio prazo, que pensara executar, foi adiado, sem previsão de retomada. Talvez nem o retome. Talvez o enterre de vez nas profundezas do esquecimento.

Há horas de angústia; a espera de um milagre que produza um despertar para a vida de escrever. Pensa, pensa, pensa...nada o entusiasma, empolga-o. Tudo é sem graça, sem razão.

A voz do texto calou-se, emudeceu. Sente-se incapaz, desacreditada. Permanece em silêncio, com medo, traumatizada, talvez. 

Há ou haverá esperanças? Não se sabe. Vive a espera de um insight que lhe devolva a inspiração, dê um brilho na escuridão das palavras, das letras. A melancolia provoca a dor da angústia, da angústia de escrever; mas não consegue transpor esse bloqueio.

Sonha voltar a escrever, mas não tem mais certeza se o fará. E de um aprendiz da escrita, agora já não tem mais esperança de continuar essa lida; ou se abandona de vez essa ideia. E esqueça para sempre que um dia ela existiu...
Juscelino Nery
Enviado por Juscelino Nery em 18/12/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras