Prisma das letras

Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento. Provérbios 3:13

Textos

Nina não precisa estudar. Não sabe o que é problema, preocupação. Ela é uma cachorrinha da raça pug, que mora com a gente.
 
Ela não tem contas pra pagar. Não tem filhos pra educar e para suportar más-criações de pirralhos. Não precisa de emprego, não tem marido pra encher o saco. Se fosse o Nino – cachorro, não teria esposa chata pra torrar a paciência de vez em quando. Claro que nem sempre é assim, há casais muito felizes e isso é louvável.
 
Felizes são os bichos, pois não têm e nem sabem as agruras por que passam ou vivem os humanos. Estes sim são ou estão infelizes sempre.
 
Os bichos não passam por conflitos no casamento, por senso de humor alterado decorrente de resquícios mal resolvidos nas relações conjugais.
 
Um dia desses, duas da madrugada, estava eu no sofá da sala, sem sono, preocupado e pensando na vida. Nina Sentou-se pertinho de mim e ficou contemplando o céu pela janela, e me fazendo companhia. Talvez ela quisesse me confortar.
 
Os bichos não precisam se esforçar pra entender as almas dos homens. Não se angustiam, não se deprimem, não se sentem inseguros quando um turbilhão de pensamentos e conflitos brotam na mente, na alma e no espírito humano.
 
Bichos não precisam se estressar com filhos que não aprendem ou não obedecem a orientações dos pais, mesmo quando estas orientações se repetem centenas de vezes. Bichos não precisam administrar conflitos de relação no convívio, seja entre casal, em família, ou em qualquer grupo social.
 
Bichos não precisam se preocupar se o sexo foi bom ou não para o parceiro ou parceira. Talvez para eles seja sempre bom.
 
Bichos não precisam aprender administrar finanças do casal porque nem de dinheiro eles entendem. Não precisam se preocupar com aquisição da casa própria, com a troca do carro, com as compras no cartão de crédito que estouraram o orçamento.
 
Eles não precisam se indignar com os ratos, vampiros e sanguessugas da política brasileira, que desviam dinheiro público destinado a obras e serviços dos mais carentes cidadãos da nação brasileira.
 
Os bichos só querem carinho e estar ao lado da gente. Não precisam se afastar da gente para tentar nos entender. Estão sempre ali para serem amigos – pelos menos os cachorros, claro.
 
Assim, fiquei observando a pugzinha, sentadinha do meu lado. Acompanhando-me quando perdi o sono pelas preocupações da vida. Ali, inocente, meiga, só queria estar perto de mim.
 
Felizes são os bichos, não padecem de paranoias, ansiedades, conflitos existenciais e outras mazelas que para o homem são eternas.
Juscelino Nery
Enviado por Juscelino Nery em 13/05/2012
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras